Valores

Pais que defendem seus filhos de tudo apesar de tudo

Pais que defendem seus filhos de tudo apesar de tudo


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

É normal que os pais protejam seus filhos, que sempre queiram ver o melhor neles, que os defendam e que às vezes não possam acreditar no que os outros lhes falam sobre eles. Mas uma coisa é defender as crianças em situações que o exigem (diante de uma criança que bate nelas, por exemplo), e outra é sempre defender o comportamento das crianças. É o caso de pais que defendem seus filhos de tudo e apesar de tudo.

Quando Sempre defendemos nossos filhos e apesar de tudo, estamos superprotegendo a criança, Mas também lhe damos imunidade a qualquer ato que pratique, não o ensinamos a ser responsável pelos seus atos, e também lhe enviamos uma mensagem nada positiva, a de "não se pode evitar", que gera insegurança nas crianças e uma sensação de falta de capacidade.

Não é a coisa mais normal, mas às vezes acontece que os pais justificam ou defendem os filhos contra ações que não são "defensáveis". Se a criança volta com uma nota na agenda do professor porque respondeu mal na aula ou bateu em um colega, esses pais não agem com a criança, mas justificam seu mau comportamento, (" Que estranho me parece porque meu filho nunca faz algo assim "ou" eles terão feito algo para ele). E quando isso acontece uma vez, nada acontece, mas se for sempre, que sempre defendemos as crianças e as justificamos, é aí que surgem os problemas.

Quando a criança faz algo que não está certo (bate em outra criança, quebra um brinquedo) e não é corrigido, a criança aprende que esse comportamento é adequado, justificado e pode ser repetido.

Às vezes, os pais não concordam com as consequências que a escola assume com a criança. Por exemplo, a criança não traz lição de casa há alguns dias e a professora dá-lhe uma nota ruim ou deixa-a um dia sem intervalo para fazer. A intenção do professor não é "incomodar e fazer sofrer" a criança, mas ensiná-la que, quando não cumprimos nossa responsabilidade, há consequências. Mas alguns pais levam isso mal, e não permitem essas ações, argumentando que a criança tem que brincar e que não podem deixá-la sem intervalo. Nessa situação, os pais tiram a autoridade dos professores, os filhos sabem disso e aprendem que têm carta branca. Que os pais sempre os defenderão em tudo que façam.

Outro exemplo pode ser quando resolvemos qualquer tipo de problema para a criança. Se ele se zanga ou briga no parque com outra criança, intervimos imediatamente e somos nós que resolvemos por ele.

Essas situações, e outras semelhantes, são exemplos de pais que defendem seus filhos apesar de tudo e se superprotegem. Isso tem consequências para as crianças e seu desenvolvimento emocional, social e pessoal, tais como:

- Não aprender a se responsabilizar por seus atos, nem a respeitar as regras ou outras pessoas.

- Eles se tornam filhos tiranos que sabem que podem fazer o que quiserem.

- Eles não aprendem a tolerar a frustração porque sempre há alguém que evita o seu desconforto, para que quando não estivermos, eles não saberão lidar com isso sozinhos.

- Diante de um problema, não sabem como lidar e é difícil para eles resolvê-lo positivamente.

- Eles podem acreditar em si mesmos que não são capazes de resolver problemas, e eles se tornam dependentes de adultos.

- Eles podem vir a acreditar que estão sempre certos em tudo, e não aprendem com os erros, porque lhes ensinamos que os erros pertencem aos outros e não aos seus.

Tudo isso influencia não apenas como as crianças são agora, mas também como serão no futuro, quando enfrentarem a vida sem proteções e sem guarda-costas.

O que nos leva, pais, a superproteger? Geralmente, o que queremos quando defendemos e protegemos nossos filhos é evitar o sofrimento por eles, não passar maus momentos, ser felizes sempre, porque como crianças é o que devem ser. Mas superproteção tem consequências mais negativas do que positivas.

Portanto, mais do que defender nosso filho de tudo e de todos, e evitar qualquer tipo de sofrimento, temos que ensinar a criança a resolver problemas, a se responsabilizar pelo que faz, a aprender a administrar as emoções ... Tudo isso vai fazer isso tornamos nossos filhos hoje adultos fortes e capazes amanhã.

Você pode ler mais artigos semelhantes a Pais que defendem seus filhos de tudo apesar de tudo, na categoria de Conduta no local.


Vídeo: Pai faz acrobacia para salvar filho de 1 ano do afogamento (Fevereiro 2023).